LuxSalus.blogspot.com

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Gripe A/H1N1 - A "Nova/Velha" Gripe Espanhola?

H1N1 Embora haja por parte da sociedade organizada, o desinteresse ou a tentativa de minimizar  a virulencia da chamada gripe suína – A/H1N1, é indispensável precaução a respeito desse "novo/velho" vírus, pois que ele vem se apresentando com as mesmas carecteristicas do causador da pandemia ocorrida em 1918.

“Segundo pesquisa feita por cientistas ligados ao Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (Niaid, na sigla em inglês), um dos Institutos Nacionais de Saúde do governo dos Estados Unidos, a gripe de 1918 deu origem a uma dinastia viral que persiste nos dias atuais.

De acordo com Anthony Fauci, diretor do Niaid, e colegas, em artigo publicado nesta segunda-feira (29/6) na edição on-line do New England Journal of Medicine, o mundo tem vivido em uma era de influenza pandêmica desde então.

Segundo eles, o vírus H1N1, causador da gripe A, embora novo, é outra manifestação da mesma família viral que matou milhões no início do século 20.

Os vírus da influenza têm oito genes, dos quais dois codificam para proteínas virais de superfíce (hemaglutina e neuraminidase), que permitem ao vírus entrar na célula hospedeira e se espalhar por outras. Há 16 subtipos de hemaglutina e nove de neuraminidase, que resultam em 144 combinações possíveis das proteínas.

Do total de combinações, até hoje se identificou que apenas três (H1N1, H2N2 and H3N2) estão totalmente capacitadas a infectar humanos. Outras combinações, como o H5N1, causador da gripe aviária, podem ocasionalmente atingir humanos. A atual pandemia de gripe foi classificada como sendo causada por uma mutação do H1N1.” Leia mais em Diario da Saúde

E como foi que surgiu a gripe espanhola, que gerou a pandemia de 1918?

Em editorial, que recomendo ler, preparado para a Revista da Associação Médica Brasileira  , a Drª Liane Maria Bertucci, relata:

Apesar do nome pelo qual ficou conhecida, "espanhola", a gripe de 1918 teria surgido em campos de treinamento militar nos Estados Unidos e se espalhado pelo mundo em consequência do movimento de tropas que lutavam na Primeira Guerra Mundial. A Espanha, país neutro durante a guerra, não censurava as notícias sobre a nova epidemia, daí alguns deduzirem, equivocadamente, que a moléstia tivesse origem ou fizesse mais vítimas no país. Com exceção de algumas ilhas da Oceania, totalmente isoladas, o ciclo letal da influenza espanhola varreu o mundo entre agosto de 1918 e janeiro de 1919."

E para terminar este post, destaco um pequeno trecho contido em texto publicado no Ministério da Saúde/FIOCRUZ/inVIVO , sobre a pandemia de 1918, que diz:

"Em carta descoberta e publicada no British Medical Journal quase 60 anos depois da pandemia de 1918-1919, um médico norte-americano diz que a doença começa como o tipo comum de gripe, mas os doentes “desenvolvem rapidamente o tipo mais viscoso de pneumonia jamais visto...

A gripe espanhola – como ficou conhecida devido ao grande número de mortos na Espanha – apareceu em duas ondas diferentes durante 1918. Na primeira, em fevereiro, embora bastante contagiosa, era uma doença branda não causando mais que três dias de febre e mal-estar. Já na segunda, em agosto, tornou-se mortal...

Ainda hoje restam dúvidas sobre onde surgiu e o que fez da gripe de 1918 uma doença tão terrível. Estudos realizados entre as décadas de 1970 e 1990 sugerem que uma nova cepa de vírus influenza surgiu em 1916 e que, por meio de mutações graduais e sucessivas, assumiu sua forma mortal em 1918. Essa hipótese é corroborada por outro mistério da ciência: um surto de encefalite letárgica, espécie de doença do sono que foi inicialmente associada à gripe, surgido em 1916.

As estimativas do número de mortos em todo o mundo durante a pandemia de gripe em 1918-1919 variam entre 20 e 40 milhões."

São muitas coincidências...

4 comentários:

  1. Cortos en facellas, largos en contallas ?

    ResponderExcluir
  2. Assim parece ser, se eu entendi corretamente o sentido da sua frase.
    Na verdade gostaria de saber um pouco mais da sua opinião.
    Abraços e grato pela visita!

    ResponderExcluir
  3. hola! Eu realmente gostei deste blog

    ResponderExcluir
  4. Olá, Karen!
    Grato pela visita e pelo elogio; fico feliz!
    Fique a vontade para se fazer presente, quando desejar; será sempre um prazer recebê-la e ler sua opinião.
    Abraços,
    Paulo

    ResponderExcluir

Grato pela sua visita!
Este comentário será moderado, publicado e respondido!